quinta-feira, 24 de maio de 2018

Sou vítima de DNA

Eis que, o  joelho  direito já não está bem,
minha  vista     imagens baralhadas  vê;
e existem muitas outras mazelas também,
que vêm, permanecem e sequer sei porquê.

Que ocorreu com aquele abundante cabelo,
que  acomodava-se  nesta  minha  cabeça;
o  qual,  agora   pois,  mal  consigo  vê-lo,
antes  que  totalmente  pois   desapareça?

Cada órgão do corpo a mim quer dizer não
e equacionar  o  que  acontece  me  intriga,
talvez cada dia um prego a mais no caixão.

Sequer penso em comprar essa terrível briga,
porque  esse problema  jamais  tem  solução,
sou vítima de  Data de Nascimento Antiga.

quarta-feira, 23 de maio de 2018

Poeta louco

Pregando no deserto, louco, andava,
trânsfuga vate, transido de amor;
mas por que enlouquecido ele estava,
não sabe que amar o faz vencedor?

Mas manter vida saudável, cismava,
deseja simplesmente recompor;
contudo, sua mente não deixava,
paixão punha o cérebro no torpor.

Mas o bardo há perdido a razão,
porque amor lhe é estranho talvez,
e seus neurônios perplexos estão.

Louco, porque louco romance o fez,
Eros, com a varinha de condão,
desativou sua plena lucidez.

terça-feira, 22 de maio de 2018

Saudosismo



Me vejo o menino tolo de outrora,
que cria em duende e feiticeira;
era quando brincava a qualquer hora,
gozando a vida na minha Palmeira.

Gostava de ver no campo as flores,
inocência e bucolismo um quanto;
a que lembrar infância sem dores,
e o mundo lá fora verdadeiro espanto.

Uma Palmeira dos meus verdes anos,
ou criação duma mente saudosa,
a qual constrói fantasias e enganos?

Palmeira, a enxergo mui carinhosa,
nos acolhedores espaços urbanos,
Cidade Clima, imponente e formosa.

segunda-feira, 21 de maio de 2018

A vida é...

A vida que a natureza nos deu,
poderá ser de brilho cor-de-rosa;
ou obscura, fosca, misteriosa,
mas, aquilo que tu ganhas é teu.

Contudo, o que nossa alma anseia,
poderá estar muito além do alcance;
então, por mais que uma pessoa avance,
pode permanecer na sua aldeia.

Mas, não julguemos o ser que vegeta,
porque cada homem faz sua escolha,
respeitemos portanto sua meta.

E ninguém sobrevive numa bolha,
seja pessoa animada ou quieta,
ou que o indeterminação acolha.

domingo, 20 de maio de 2018

Soneto sem noção

Mas o Planeta guarda seu segredo,
talvez nos sombrios abismos do mar;
para o homem resta respeito e medo,
no interior da mente a vicejar.

Na verdade pode ser um tesouro,
que vale muito, talvez mais que a vida;
e do qual todo o futuro vindouro,
resgatará a dignidade perdida.

Mas o mundo outro segredo contém,
que interfere na existência nossa,
adultos, vemos moços com desdém.

Enquanto deles nós fazemos troça,
esquecendo que fomos jovens também,
e que sequer tínhamos a voz grossa.

sábado, 19 de maio de 2018

Aniversariantes



N o mês de maio nasceu o piá Benjamin
E ntão em dezenove ele faz aniversário
T odos portanto cumprimentamos enfim
O seu  mais  festivo  dia   do  calendário.

E não fica apenas neste aperto de mão

V em sua avó Brandina do sul do Brasil
O rgulhosa de seu neto bem cabeludão
V ó cheia de gás, duma animação febril
Ó Ben  e  Vovó, nossos parabéns então!

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Lucidez

 As vezes, esta minha mente errante,
que frequenta livraria e não bares;
se perde pelos pelágicos mares,
de translúcidas sereias cantantes.

Mas, vejamos, sou apenas figurante,
o qual observa a verdade nos ares;
aves com seus argentinos cantares,
e astro-rei com seu brilho cintilante.

Transcendência disso me deixa aflito,
porquanto tudo mostra a claridade,
aquilo que no esconso está escrito.

Avassaladora essa imensidade,
porquanto algo que tange o infinito,
alcançando as raias da eternidade.